Estudantes desenvolvem sistema de monitoramento de barragens e hidrelétricas

Imagem: UNIFEI

A empresa Solver, que atua no ramo de desenvolvimento de tecnologias para monitoramento, controle e operação de estruturas dos segmentos de mineração, energia e siderurgia, desenvolveu um sistema óptico de monitoramento de barragens e hidrelétricas.

 A Solver está instalada na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá (Incit), que fica no Complexo Histórico e Cultural da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), na região central da cidade. Além do sócio Geraldo Tiago, compõem a empresa Daniel Carlos Ribeiro Trautwein e Luiz Esper, respectivamente mestrando em Engenharia de Energia e graduando em Engenharia de Computação da Unifei.

Imagem: UNIFEI

Com a tecnologia desenvolvida, é possível monitorar as barragens através de lasers de alta precisão, o que pode ajudar a evitar tragédias como a de Brumadinho – MG. O aparelho fica posicionado em frente à barragem, fora da estrutura de barramento, em um terreno inerte, e faz a leitura de múltiplos pontos na estrutura, como se fosse um escaneamento desses alvos, informando a situação da barragem.

O monitoramento da barragem é feito 24 horas por dia, podendo-se perceber qualquer anormalidade e evitar desastres, como o que ocorreu recentemente, pois, caso seja detectado qualquer tipo de problema, os sistemas de segurança podem ser acionados e os alertas disparados. “Nosso sistema monitora ininterruptamente e informa em tempo real o início de alguma deformação na barragem, proporcionando tempo hábil para ações preventivas e corretivas a serem tomadas para não haver colapso estrutural e, no pior dos casos, uma evacuação do vale de jusante, evitando perdas de vidas e reduzindo de impactos ambientais e materiais”, explicou Daniel.

O sócio Daniel Trautwein é o criador do sistema, que foi idealizado há 7 anos, enquanto ele atuava como engenheiro civil no cargo de gerente de construção de hidrelétricas pela Quebec Engenharia. Porém, somente em maio de 2016, ele fez o pedido de patente no Instituto nacional de Propriedade Industrial (Inpi). A tecnologia já está em fase de teste em uma mineradora do Brasil, cujo nome não pôde ser divulgado pela Solver.

Daniel começou o mestrado na Unifei em agosto de 2016, tendo como pesquisa esse projeto, e a Solver nasceu em junho de 2018. Desde então, ela está no programa de incubação da Incit, que é de, no máximo, 36 meses. Segundo informações dos sócios da empresa, uma empresa de geotecnia e hidrogeologia, responsável por grande parte dos projetos das mineradoras nacionais, se tornou sócia da Solver em novembro de 2018.

Imagens: UNIFEI

Créditos: UNIFEI

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*