Conheça o EcoEvoRxiv: A plataforma que facilita a divulgação de pesquisas

Imagem: Jornal da USP

Um grupo de pesquisadores de 11 países, incluindo o Brasil, lançou, no dia 15 de janeiro, o EcoEvoRxiv, um servidor de pré-publicação voltado para as áreas de ecologia e evolução. Servidores de pré-publicação ou preprint são plataformas nas quais cientistas podem disponibilizar artigos antes de sua submissão a revistas científicas, artigos já publicados, relatórios, bancos de dados e outros materiais relacionados à pesquisa.

Atualmente, ecólogos e biólogos evolutivos utilizam serviços de pré-publicação de abrangência mais geral, como o bioRxiv e o PeerJ. A novidade do EcoEvoRxiv é focar as áreas de ecologia e biologia evolutiva, facilitando a localização dos artigos. O objetivo da nova plataforma não é competir com outros servidores já existentes, mas diversificar o sistema de preprints e trazer mais usuários para o sistema em geral.

“A intenção é fornecer uma plataforma de fácil utilização para que mais cientistas publiquem seus manuscritos como preprints de maneira rotineira”, afirma Eduardo Santos, professor do Instituto de Biociências (IB) da USP e membro do comitê diretor do EcoEvoRxiv.

Outro aspecto positivo é a integração com projetos hospedados na plataforma Open Science Framework (OSF). A OSF é um repositório livre e aberto de gerenciamento de projetos, que facilita o registro e a organização de informações ao longo de todo o processo de pesquisa.

Baseado nos princípios de ciência aberta e colaborativa, o repositório permite que os pesquisadores trabalhem em projetos privados, com número limitado de colaboradores, tornando públicas apenas partes do material. Outra possibilidade é que projetos inteiros sejam disponibilizados publicamente, com um identificador digital (DOI) citável. A escolha de como os dados serão divulgados fica a cargo dos pesquisadores envolvidos em cada projeto.

Além de facilitar o fluxo de trabalho e compartilhamento de material, a integração entre o EcoEvoRxiv e a OSF é vantajosa por aumentar as conexões entre os servidores de pré-publicação. “A OSF se conecta com diversos servidores de preprints, logo, se você fizer uma busca por preprints na OSF, você também estará realizando uma busca no BioRxiv, EarthRxiv e um número cada vez maior de servidores de preprints”, explica Eduardo Santos.

O uso de servidores de pré-publicação é um passo importante rumo à transparência e acessibilidade da ciência. Por serem de acesso aberto, os servidores aumentam a velocidade e abrangência da distribuição de descobertas científicas. Também permitem que os projetos fiquem registrados desde o começo, o que aumenta a troca de ideias na comunidade científica e ajuda a minimizar fraudes.

Embora ainda sejam usados por uma proporção pequena de pesquisadores, os servidores de pré-publicação têm crescido rapidamente. O arXiv, primeiro repositório do tipo, foi lançado em 1991 e contou com menos de 100 submissões de trabalhos no primeiro ano. Hoje, a plataforma conta com mais de um milhão de artigos, a maioria deles na área de ciências exatas.

Seguindo essa mesma filosofia de aumentar a acessibilidade e qualidade da ciência, o EcoEvoRxiv faz parte do movimento Transparência em Ecologia e Evolução (TEE). O EcoEvoRxiv é aberto a trabalhos empíricos, teóricos, revisões e outros formatos relacionados à pesquisa.

Créditos: Jornal da USP

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*